sexta-feira, 4 de julho de 2008

Segurança na Net pode estar em causa !

As empresas que fornecem domínios para as páginas de Internet parecem estar a poupar na segurança, pelo que alguns endereços são mais seguros do que outros para quem navega na Internet - de acordo com estudo divulgado a semana passada pela McAfee.

No seguimento, e de acordo com essa mesmaa investigação as extensões .hk(Hong Kong) e .cn(China)e ainda .info (informação) são os mais perigosos para os utilizadores da Net - pois estasmos perante a hipótese dos servidores estarem colocados em Países considerados de risco.

Do total de endereços terminados em .hk examinados pela McAfee, 19,2% foram catalogados como perigosos ou potencialmente perigosos para os visitantes, o mesmo sucedendo com 11,8% dos sites com extensão .cn e com 11,7% das páginas terminadas em .info - o estudo assinala ainda que os domínios com a extensão .ro(Roménia) e .ru(Rússia) também justificam algum cuidado da parte do utilizador, pois o seu grau de risco foi avaliado, respectivamente, em 6,8% e 6,0%.

No outro extremo, do lado dos mais seguros, a McAfee colocou os sites com endereço a acabar em .gov(de utilização governamental), .jp(Japão) e .au(Austrália).

No que diz respeito á extensão .com - que são os mais comuns, apenas 5% foram considerados pela empresa californiana como "perigosos ou potencialmente perigosos".

Segundo a McAfee, as empresas que são pouco exigentes no registo de domínios, pedindo pouca informação aos clientes e não aferindo a veracidade dos dados facultados, facilitam a vida aos spammers (pessoas que enviam publicidade não solicitada), aos autores de código "malicioso" e a outros cibercriminosos.

Existem centenas, talvez milhares, de companhias a vender domínios na Internet. E se umas são maiores, mais conhecidas ou mais seguras, outras disponibilizam os endereços a baixo custo, com vista a angariar mais utilizadores dos seus serviços, não se preocupando com o uso que vai ser dado ao endereço.

A análise realizada pela empresa norte-americana avaliou 9,9 milhões de páginas de Internet em busca de código perigoso, excesso de publicidade ou formulários enganosos (que se destinam exclusivamente a reunir e-mails que depois serão utilizados para o envio de publicidade não solicitada).

De salientar que o registo de páginas de Internet com a extensão .pt(Portugal) está a cargo da Fundação para a Computação Científica Nacional, que só atribui endereços electrónicos com aquela extensão a empresas.

Sem comentários: