sábado, 4 de abril de 2009

Gelo da Antártida está a derreter mais depressa do que se pensava


O Instituto Geológico dos Estados Unidos revelou hoje que as alterações climáticas registadas no planeta estão a derreter os glaciares antárcticos muito mais rápido do que se pensava.

Segundo o instituto americano, as últimas imagens de satélite mostraram que pelo menos uma das enormes plataformas de gelo da região desapareceu totalmente e outra perdeu 13 fragmentos com a superfície de cerca de 8.500 quilómetros quadrados.

Apesar de já se saber a plataforma Wordie estava em retracção, a análise das imagens revelou, pela primeira vez, que esta "desapareceu completamente", indicou o instituto.

Além disso, acrescentou, confirmou-se que parte da plataforma Larsen já não existe.

"Esta análise proporciona o primeiro cenário detalhado das mudanças registadas nos glaciares e no gelo das costas da Antártida", explicou o secretário do Interior dos Estados Unidos, Ken Salazar.

"O rápido desaparecimento dos glaciares demonstra, uma vez mais, as consequências profundas que as alterações climáticas estão a registar no nosso planeta e que estão a ser mais rápidas do que se pensava", acrescentou.

"Esta continuada e contínua redução dos glaciares é uma chamada de atenção às mudanças que estão a ocorrer e para as quais é necessário estarmos preparados", alertou a especialista em glaciares do Instituto Geológico Jane Ferrigno.

"A Antártida tem um interesse especial porque contém cerca de 91 por cento de todos os glaciares da Terra e uma alteração em qualquer parte da plataforma de gelo pode significar grandes perigos para a sociedade", disse.

O anúncio de hoje foi feito dois dias antes de se celebrar em Washington o 50º aniversário do Tratado Antárctico, com um encontro dos países que subscreveram o acordo, e que será encabeçado pela secretária de estado norte-americana Hillary Clinton.

Noticia do Observatório do Algarve

Sem comentários: