segunda-feira, 7 de março de 2011

Censos arrancam hoje. Multa pode ir até 3.740 euros para quem não responder



A maior operação estatística do país começa hoje com a distribuição dos questionários destinados a recolher dados no território português para os Censos 2011, que são de resposta obrigatória.

Tutelado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o processo conta com o apoio das autarquias e das escolas na sua divulgação.

O recenseamento geral da população e da habitação vai permitir saber onde vivem os cidadãos, onde trabalham, quantos são e que estudos têm.

Até dia 20, os recenseadores do INE vão entregar nas residências os questionários em papel e um envelope fechado com os códigos de acesso à Internet (e-Censos), uma novidade a introduzir este ano e ainda utilizada em poucos países, conforme explicou à Lusa em outubro a presidente do INE, Alda Carvalho.

"É uma garantia de qualidade porque não vai exigir qualquer tratamento posterior", assegurou na altura, considerando este método mais confortável, já que o preenchimento pode ser feito em casa e de forma faseada.

Quem precisar de ajuda, pode solicitá-la ao recenseador, na Junta de Freguesia, ou através da linha de apoio telefónico do INE.

A 21 de março abre o período de respostas via Internet (www.censos2011.ine.pt). A resposta deve corresponder à situação relativa a 21 de março, o momento censitário.

De 28 de março a 10 de abril, ainda podem ser enviadas respostas pela Internet e preenchidos os questionários em papel, que serão recolhidos pelo recenseador em cada residência até 24 de abril, altura em que já estarão encerradas as respostas on-line.

A resposta é obrigatória e confidencial. Além do endereço www.censos2011.ine.pt, podem ser esclarecidas dúvidas através da linha gratuita 800 22 20 11, nos dias úteis, das 09:00 às 20:00, horário que poderá vir ainda a ser alargado até às 22:00.

Quem não quiser responder aos questionários ou prestar falsas informações arrisca o pagamento de multas que variam entre os 250 e os 3740 euros, revela o Público.

O XV Recenseamento Geral da População e V Recenseamento Geral da Habitação visa recensear todos os cidadãos "residentes ou apenas presentes no território português", independentemente da nacionalidade, bem como todos os alojamentos e edifícios destinados a habitação.

Os recenseadores estarão identificados e aptos a prestar todos os esclarecimentos, depois de terem recebido formação para o efeito, e estão obrigados, por lei, ao segredo estatístico.

Sem comentários: