sexta-feira, 29 de abril de 2011

[artigo de opinião de João Bárbara] Escola do Pontal - um verdadeiro estaleiro

Desde o inicio do ano lectivo que tenho andado confuso com o que se passa na Escola Primária do Pontal. Assim que começaram as aulas, começaram as obras de escola. Eu não digo que as mesmas não fossem precisas e mesmo importantes para o parque escolar, aliás praticamente todo o agrupamento da D. Martinho Castelo Branco, apenas se salva mesmo a própria escola D._Martinho Castelo Branco.

Agora, acontece que desde o inicio deste último periodo que a situação piorou e muito. Logo no primeiro dia que levei a minha filha à escola deparei-me com algumas situações menos próprias (pelo menos a meu ver) :

- o facto da turma da minha filha ter aulas num contentor já não me agrada muito mas parece que as condições até são aceitáveis (pelo menos até chegar o calor a sério, nessa altura logo veremos como fica). Já desde o ano passado que estamos habituados a ter de levar desumidificadores para a sala (o bolor é tanto que é vê-los a tossir) por isso se tivermos de levar mais algum equipamento ...;

- o estacionamento em frente ao portão por onde agora entram é péssimo, aliás até foram colocadas placas de proibido estacionar e parar, por isso diariamente umas centenas de pais e mães a transgredir a Lei. Então e se pararmos o carro no estacionamento normal e virmos a pé leva-los à escola ? isso seria bom, mas alguém se esqueceu que o passeio foi ocupado pela obra - parece que até de forma menos legal, pois sempre vi noutras obras bem maiores que o empreiteiro era obrigado a fazer um passeio provisório .... mas em Portimão tudo é diferente. Ou será que, mesmos estando tão perto do DTPU os fiscais nunca lá passam ?;

- agora o melhor ainda é, os próprios trabalhadores da obra pedirem licença ás crianças para passar com tubos de ferro e outro material ... pois é, o recreio por vezes é ponto de passagem da obra. Será isto correcto ?

Parece que a fiscalização da obra é mesmo o ponto principal.

2 comentários:

EB disse...

João, desculpe-me mas como é possivel a Câmara fiscalizar uma obra da própria Câmara, a obra em causa pode estar a ser executada por empreiteiro mas é da responsabilidade da Câmara, como tar certamente devem ter algum pacto para passar por cima de alguma burocracia.

João Bárbara disse...

Caro EB, eu percebo o que diz mas eu só queria que alguém fiscalizasse alguma coisa. Este assunto pode parecer uma situação muito simples, mas a verdade é que temos miudos a partilharem o espaço com uma obra.

A questão do passeio é mesmo falta de se cumprir com as regras minimas de bom senso, não é só uma questão de legalidade e de cumprirem com regras, mas sim de bom senso e de pensarem que ali circulam crianças, muitas delas infelizmente a pé e sozinhas - como se isso já não fosse mau o suficiente agora também circulam pela estrada.