terça-feira, 16 de outubro de 2012

OE 2013 - 1º post

Tenho de expressar a minha insatisfação, a minha revolta e sobretudo a minha grande preocupação pelo aumento brutal e esmagador dos impostos para 2013, principalmente do imposto sobre os rendimentos. Apesar de ainda não ter percebido muito bem como vou ser afectado, uma coisa percebi, é que vou pagar bastante mais de IRS .... já para não falar da sobretaxa de 4%.  Mais uma vez, quem foge, quem não declara, vai passar ao lado desta confusão. Será que alguma vez vai acabar a fuga aos impostos ?

Fiquei revoltado quando percebi que mais de 80% do esforço pedido vem do lado do aumento de impostos, e só 20% do lado da redução da despesa pública !!!!!! Tive oportunidade de ver os quadros apresentados e fiquei de 'boca aberta' com a quantidade de Institutos e afins que recebem milhões do Estado, assim como os largos milhões que a própria Assembleia da República recebe (embora aqui o orçamento para 2013 esteja empolado pelos milhões que os partidos vão receber para as próximas eleições autárquicas) - era uma boa oportunidade para cortarem mais nas subvenções, embora saiba que já foi cortado em 20%, mas mais 20% não ficava nada mal !

Cortes na saúde, cortes na educação ... mas será que vai ser suficiente ? será que não vamos ter ainda mais austeridade, é que 5.000 milhões e euros é o que é necessário para 2013 !

Uma conta simples, eu ganho menos, logo gasto menos, compro menos e quem vende vende menos, logo vai pagar menos impostos! será que alguém vai ganhar com esta austeridade ?

Agora outra coisa, parece-me que neste momento está ultrapassada a linha imaginária que existia no CDS e nos seus militantes, logo a perspectiva será a saída da coligação. Neste momento já não vejo com maus olhos esta situação, porque estamos a esquecer a ideologia do partido e principalmente os seus principios que tantos militantes trouxeram ao CDS. Espero que a Direcção do partido faça algo e sobretudo que tome medidas para que os militantes e simpatizantes possam perceber em que ponto estamos. Este silêncio é uma resposta ao terrível aumento de impostos, mas não pode ser desta forma. Exige-se medidas e uma posição pública sobre este assunto.

O tempo urge .... os Açores foram o primeiro sinal !

Sem comentários: