domingo, 30 de novembro de 2014

Ranking das Escolas 2014

(foto do Jornal Expresso)

Umas breves palavras ao Ranking das Escolas 2014, e em particular ao 
Ranking da nossa Escola D. Martinho Castelo Branco

http://sicnoticias.sapo.pt/Infografias/2014-11-29-Ranking-das-Escolas-2014-as-melhores-e-as-piores-do-pais

Foram tornados públicos os rankings das Escolas publicas e privadas de 2014. 

Pelo que li e ouvi, é um exemplo de como estamos a tornar elitistas o Ensino, basta analisar o ranking para perceber que os melhores são todos do privado.
Não é novidade verificar que as escolas e agrupamentos com maior percentagem de alunos carenciados tem uma média de notas mais baixa, Não é novidade perceber que as escolas e agrupamentos dos centros e zonas de Portugal com menor desemprego e melhor nível de vida têm médias de notas superiores. 

Será que se as condições de todos os alunos fossem as mesmas, seria possível ter melhores notas ? Nem todos têm as mesmas condições na escola, nem todos têm o mesmo corpo docente e isso faz uma grande diferença.
Diferenças entre o privado e público são muitas, na minha opinião umas mais que outras. 
Pensemos na qualidade do Ensino e do corpo docente numa escola privada, na dedicação e na preocupação que os professores e toda a organização têm. É fácil de perceber que não é igual. 
Também nalguns casos, aqui já não tão evidente porque depende dos alunos e dos professores, no privado existe uma maior preparação para os exames (por vezes com meses de trabalho e dedicação).
É verdade que o privado 'escolhe' os alunos muitas vezes com uma base apenas financeira. 

Falando agora de Portimão, e mais concretamente do nosso agrupamento.
O ranking não foi simpático para a Martinho Castelo Branco. Temos um registo de 45% de alunos carenciados, quase metade da população estudantil, o que dificulta muito o trabalho de toda a organização e em particular dos professores. A carência tem vindo a a aumentar, e parece que com todas as políticas educativas em Portugal, não vai descer mas sim aumentar.

Na nossa escola, o ano letivo começou muito atribulado, muita falta de professores, muitas entradas e saidas e professores, e sobretudo cada vez mais dificuldade dos alunos em ter um ambiente escolar saudável e que possa por essa mesma via 'criar' jovens dinâmicos, solidários e com vontade de ser melhor, de ter um Portugal melhor. Uma coisa Vos digo, com esta atitude, com este ambiente, será muito difícil com as médias e as notas dos exames nacionais melhorem e estejam ao nível que todos os Pais e Educadores gostariam.
Era preciso uma melhor organização na Escola, Era preciso um corpo docente mais dinâmico e presente, Era preciso afastar algumas 'ervas daninhas' que teimam em não sair. Temos de querer para os nossos educandos o melhor, mas para isso é preciso vontade dos alunos, dos professores e das familias, é preciso que todos os problemas sejam resolvidos de imediato, não podemos esperar por decisões que muitas vezes teimam em aparecer por motivos burocráticos e de dificil entendimento para as familias,
Não podemos ter turmas sem professores, em particular nas disciplinas principais. Não podemos esperar por professoras que não estão, há que resolver rapidamente essas faltas e não esperar semana após semana. Não podemos ainda agora, com quase o primeiro período acabado, estar à espera da colocação de um professor de Matemática ou Português.
Não podemos ter professores como Diretores de Turma sem o minímo de vocação para tal, e pior ainda sem o minímo de vontade. Isso vai ser refletido no próprio comportamento dos alunos.

Um aluno pode ser um 'espelho' do comportamento do próprio professor

Por fim, e esta é uma critica muito pessoal à escola, a comunicação escola-familias tem de ser melhor, tem de de facto existir, não pode ser um mito.

Sem comentários: