terça-feira, 13 de janeiro de 2015

[artigos dos outros] Pais&Filhos : Cuidado com os rótulos nas crianças - O culto da excelência

Deixo-vos uma parte de um artigo do site Pais& Filhos sobre uma temática muto interessante e de particular importância para todos os educadores.
 
O artigo tem o titulo de "Cuidado com os rótulos nas crianças", onde se trata precisamente estes rótulos que por vezes são dados ás crianças e também o chamado culto da excelência.
 
Os rótulos podem ser torturantes, muitas vezes passam a fazer parte da vida e do íntimo de cada criança ou jovem. Vivem mesmo com cada um !
 
Colocar um rótulo é muito fácil, o difícil é retirá-lo. Todos nós no nosso íntimo sabemos bem disto e, ou já assistimos ou mesmo passamos por isto.
 
Vale a pena ler sobre este assunto e mais anda pensar e meditar sobre o mesmo.
 
 
 
"A questão dos rótulos colocados nas crianças é mais atual do que nunca, numa sociedade em que existe um maior conhecimento e preocupação com o diagnóstico de determinadas patologias que podem afetar a aprendizagem. Esta preocupação, à partida, é positiva, na medida em que permite identificar problemas específicos ao nível da aprendizagem e delinear estratégias adequadas para uma intervenção em tempo útil. 
 
«Os rótulos são perigosos, uma vez que criam prognósticos para a evolução dos alunos, de acordo com os quais estes tendem a agir.» Na sua opinião, «é preciso ter expetativas, ter fé nas capacidades das crianças, pois estas podem evoluir e surpreender». É neste sentido que considera que os professores devem ser exigentes para com todos, consoante as potencialidades de cada um: «Os professores têm capacidade para ler a individualidade de cada aluno, potenciando a aprendizagem daqueles que são bons e apoiando aqueles que são menos bons». 
 
Vivemos numa sociedade virada para o sucesso, em que se procura a excelência desde cedo como garantia de triunfo no futuro. Com 26 anos de experiência, Bárbara Giraldes observa uma diferença considerável entre as expetativas que atualmente as famílias transportam para a escola e aquelas que existiam quando começou a lecionar. «Agora atropela-se o tempo. As crianças ainda frequentam o 2.º ano de escolaridade e os pais já estão a pensar na sua entrada na faculdade», constata. 
Esta ansiedade reflete-se nas expetativas com o desempenho escolar, fazendo com que haja uma grande pressão para a excelência, de preferência atingida rapidamente. «Na questão das aprendizagens temos de dar tempo ao tempo, de insistir nas áreas em que a criança tem dificuldades e de lhe transmitir ‘Calma, que vais conseguir!’», defende esta professora."

2 comentários:

Anónimo disse...

Muito interessante e verdadeiro

Anónimo disse...

Muitos destes rótulos são colocados pelos professores, o que é pena porque passam o dia todo com os nossos filhos sem sabermos o que se passa dentro da sala de aula.