segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

[a minha opiniao conta] O alcool e os menores

 
Começo este texto com a imagem acima, que de uma forma muito geral e bastante elucidativa, dá a informar que apenas é permitido vender bebidas alcoólicas a maiores de 18 anos.
 
 (imagens do Google)
 
Nos últimos dias, li alguns artigos e notas de opinião, sobre este assunto e sobre a fiscalização que tem sido feita pelas autoridades portuguesas.
 
Noticia do Jornal de Noticias "Lei que proíbe álcool menores é ineficaz"
 
A ASAE tem intensificado as suas fiscalizações na noite de Lisboa, e no resto do País onde andam os fiscais ????
 
Que ninguém tenha dúvida que na noite algarvia existem muito bares que servem as bebidas da moda a adolescentes, alguns com 14 anos. E, por bebidas da moda, estou a falar de shots, alguns com absinto e outras bebidas brancas. O que acontece a quem vende bebidas a menores ? pagam a multa e continua em frente porque o proveito é maior, aqui é que está o problema ....
Além de todas as multas, nada mais acontece.
 
Também não podemos atribuir toda a responsabilidade aos proprietários e gestores dos estabelecimentos de diversão noturna, os Pais e Educadores têm de ter uma atitude mais responsável e próxima dos jovens.
É demais imprescindível que saibam onde vão os jovens, com quem estão e o que estão a fazer. Percebam onde param, se as bebidas têm álcool e quem lhes deu ou vendeu. Até pode ser que esse bar não seja o indicado, quer pelo ambiente em si como pela frequência - mas para isso é preciso que se conheça o espaço e o ambiente.
É normal que queiram experimentar, mas já não é tão normal ficarem em coma alcoólico ou num estado de vomitarem, isso não. Beber com moderação, e na altura certa.
 
Por alguma razão se diz que o álcool queima os neurónios.
 
E porque não uma palavrinha a quem vendeu a bebida indevidamente, não temos de ter receio ou medo. Experimentem e logo vêm que o resultado pode ser surpreendente.

2 comentários:

Anónimo disse...

O uso de bebidas alcoólicas por menores de idade está relacionado ao maior número de óbitos de jovens do que todas as drogas ilegais somadas. Alguns dos principais aspectos desse problema encontram-se dispostos abaixo.

Beber e Dirigir

Acidentes de trânsito são a maior causa de morte entre jovens de 15 a 20 anos. Os adolescentes já correm risco maior desse tipo de problema devido à falta de experiência na condução de um automóvel, sendo que os motoristas menores de 21 anos também são mais susceptíveis do que os motoristas mais velhos a sofrer prejuízos na habilidade de condução de um carro.

As taxas de acidentes automobilísticos envolvendo jovens de 16 a 20 anos que fizeram uso de bebidas alcoólicas é mais de duas vezes superior às taxas de acidentes de carro envolvendo motoristas de 21 anos ou mais que fizeram uso dessa substância.

Suicídio



As bebidas alcoólicas interagem com condições tais como depressão e estresse, podendo contribuir para o suicídio, a terceira causa mais frequente de morte entre jovens de 14 a 25 anos.

Violência Sexual

A violência sexual ocorre mais comumente entre mulheres no fim da adolescência e início da fase adulta, geralmente dentro do contexto de um encontro com interesses afetivos. Os estudos sugerem que o uso de bebidas alcoólicas por parte do agressor, da vítima ou de ambos aumenta a chance de violência sexual por parte de um conhecido do sexo masculino.


Prática de Sexo Inseguro

Os estudos têm associado o uso de álcool por adolescentes com a prática de sexo inseguro, com a presença de parceiros múltiplos e sem o uso de camisinhas. As consequências dessa prática podem ser gravidez indesejada e contração de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo AIDS.

Eduardo Marques disse...

O uso abusivo do álcool é especialmente fatal para os jovens, além de ser a causa principal de morte em homens entre 15 e 59 anos. Segundo a OMS, 320 mil pessoas entre 15 e 29 anos morrem ao redor do mundo anualmente de causas relacionadas ao consumo do álcool.

De acordo com o relatório Global Status Report on Alcohol and Health (Relatório da Situação Global sobre Álcool e Saúde), divulgado pela Organização Mundial de Saúde, cerca de 2,5 milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do consumo de álcool – número maior que as mortes causadas pela AIDS, tuberculose ou violência física.