quinta-feira, 2 de julho de 2015

[a minha opinião conta] Consulta Pública do documento de Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-Estar



Consulta Pública do documento de Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-Estar


Até ao próximo dia 15 de Julho, está em discussão pública, o documento de estratégia nacional para a Promoçãoda Atividade Física, da Saúde e do Bem-Estar – pouco tempo para um documento de tamanha importância na vida, na saúde e no bem-estar de todos os portugueses, adultos e jovens.

Com este documento, pretende-se combater a inatividade física, conseguindo desta forma melhorar a nossa condição física, saúde e bem-estar.

Li o documento, e fiz as minhas propostas, que quero aqui partilhar de forma sucinta e muito breve.
Desde logo, a necessidade de consciencialização por parte das empresas, e associações empresarias, para a importância da atividade física por parte dos seus funcionários. A começar na necessidade de horários compatíveis com uma vida física ativa, com a possibilidade de utilização de espaços desportivos próprios, ou em ginásios e clubes com acordos com as empresas.

Por parte dos organismos públicos, em particular autarquias, uma maior interação com os clubes e associações desportivas locais.

A utilização dos técnicos municipais para atividades físicas ao ar livre, ou em espaços desportivos locais – desenvolvimento de programas de ocupação dos tempos livres dos jovens e menos jovens, ou mesmo programas de férias desportivas sem encargos para o orçamento familiar.

A otimização dos espaços públicos existentes (campos de futebol ou ténis municipais, pavilhões escolares ou municipais e piscinas municipais), mesmo que estes estejam a ser explorados em exclusivo por algum clube ou associação. Torna-se necessário contratos programas dessa mesma exploração que possibilitem à população a sua utilização em partes do dia, ou mesmo em dias específicos, sem qualquer encargo – parece-me inconcebível que os espaços públicos não possam ser utilizados livremente (com as devidas restrições de número e condição física de cada pessoa) pelo menos em partes do dia e da semana.

Contratualizar com outros clubes e associações desportivas a possibilidade de utilização dos seus espaços próprios.

A nível escolar, torna-se imprescindível que, de uma vez por todas, se dê a devida importância ao desporto escolar, seu desenvolvimento e imputação de recursos a nível de escola. Aumentar o número de horas e de projetos dentro e fora da escola. Aceitar o desporto escolar como uma atividade que vai trazer mais saúde e bem-estar a todos os jovens, e por isso mesmo insubstituível por outra qualquer atividade escolar.

Criação, e sua implementação e divulgação, de programas de utilização de bicicletas e outros para a deslocação casa-escola-casa. Não esquecer da devida necessidade da criação de espaços próprios para o acondicionamento das bicicletas, principalmente de segurança. Ainda neste âmbito, verificar da necessidade de que os seguros escolares possam ser alargados e abranger esta mesma deslocação, no seu trajeto habitual.

Abraço

João Bárbara

Sem comentários: