terça-feira, 10 de outubro de 2017

[Opinião] Outra vez as refeições escolares



Mais um ano letivo que começa, e logo um dos assuntos habituais, as refeições escolares. 
Infelizmente, parece que este é um assunto que dificilmente tem forma de mudar, agora resta pensarmos porquê? 

Em primeiro lugar, é um assunto muito melindroso para os pais e mães. Logo, assunto difícil para todos os envolvidos.

Ora bem, alguns Diretores dizem que estão atentos e que a cada problema que surge, de imediato falam com as empresas exploradoras do serviço e resolvem o problema. Bom, mas então se é assim, porque volta acontecer? Será preciso o sr. Diretor falar todos os dias com a mesma pessoa a pedir para cumprir o contratado?

A realidade é que, de uma forma geral, a qualidade e quantidade de comida nas cantinas escolares não é a adequada nem a mais correta. Falta qualidade, Falta quantidade, Falta talvez bom senso de quem explora as cantinas escolares.

O presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos de Escolas Públicas diz que não tem conhecimento de problemas, mas que quando a comida não é suficiente as escolas fazem reclamações junto das empresas responsáveis. Bom, e isso resolver o quê propriamente? os alunos ficam mal comidos nesse dia, no próximo tudo ok, mas volta o mesmo problema e volta-se a falar com a empresa responsável. 

Por experiência própria de Pai, e nos anos em que fui presidente da Associação de Pais, recebi várias queixas da quantidade e por vezes da qualidade da comida que serviam no refeitório. Tentei junto da escola averiguar, mas a resposta era sempre a mesma, vamos falar com a empresa. Uns dias bons, e logo voltava o mesmo problema. Sinceramente, cheguei a ver fotos do prato e na quantidade tinham razão. Ainda tentei averiguar presencialmente, tipo surpresa, mas claro que não foi possível!

Falta vontade para mudar, para melhorar o que é preciso. O que é estranho, até porque existem linhas orientadoras para as refeições.

João Bárbara



Sem comentários: