Uma facada no coração do Desporto

(imagem do site do Comité Olimpico de Portugal)


A pandemia tem sido muito negativa para o desporto português, e em particular para o desporto federativo. Tirando o futebol profissional, as restantes modalidades federativas têm ficado esquecidas.

Esta situação de quase paragem, está a colocar em risco a continuação dos clubes e associações desportivas. Os técnicos, os atletas e os seus dirigentes precisam de continuar a trabalhar, de manter a sua atividade.

Ainda recentemente, algumas federações e o próprio Comité Olímpico veio lamentar a ausência de apoio ao desporto, que foi apresentado no Programa de Estabilidade Económica e Social.

O desporto gostava de estar a ser tratado, em pé de igualdade com a cultura, que teve direito a um valor de 30M€. Parece-me que se está a perder uma oportunidade de tratar o desporto como um setor de atividade, um setor vital à condição física e saúde dos portugueses.

Exige-se uma atitude governativa mais dinâmica, tratando o desporto como o merece e como deve estar. Uma das "desculpas" dadas para que o desporto tenha ficado esquecido, que é o deste documento apenas ter como referência os setores vitais ao plano económico-social do país, não pode, nem deve ser aceite pela sociedade, o desporto também faz parte destes setores. Aguardamos todos por uma reformulação deste documento, neste momento, vital para a continuação da vida em sociedade do nosso país.

Em modo de fecho de conclusão, refiro que me parece que o Governo, e mesmo a Secretaria de Estado do Desporto, não conhece bem o desporto, e por isso mesmo, estão a tratar este assunto como quase nada.

@joaobarbara

Comentários