[COVI-19] um típico sábado de manhã



Hoje saí logo pela manhãzinha para ir à praça e trazer uns frescos para casa. Na praça de Portimão, muitos poucas bancas abertas, o que é compreensível mas por enquanto ainda é o suficiente. A ver vamos no futuro próximo.

Um alerta, eu, como muitos outros, temos de continuar a ir trabalhar no horário normal de trabalho. Será que as pessoas que estão em casa podem fazer as suas compras durante a semana, e deixar assim o sábado de manhã para quem não o pode fazer durante os dias úteis? Eu sei que os hábitos são difíceis de mudar, mas tempos extraordinários, merecem atitudes extraordinárias. Era simpático, fico o meu alerta e pedido.

Passando agora ao que vi, nesta hora e meia que estive fora de casa. E, olhem que fui logo pelas 7.30 para conseguir ir ao supermercado na abertura.

Continuamos a ver muitos idosos no seu sábado típico de manhã, se calhar quase o típico, mas ainda à procura de um café, de umas palavras com o amigo e do seu jornal. A preocupaçºao geral é mesmo os velhotes, não fossem estes os mais vulneráveis nesta pandemia. É preciso mais, é preciso fazer algo mais para que estas pessoas não saiam mesmo de casa.

Posso dizer que em 10, 6 são pessoas idosas. Porque será? é preciso pensar nisto, e fazer algo, porque parece que o nosso Governo ainda não chegou lá, e continuamos a permitir mais do que devíamos. Mas, não se preocupem, Itália e Espanha pensaram o mesmo, e agora é só vermos o estado em que estão. Chegaremos lá, mas à força .....

O isolamento instituído não é suficiente, é preciso mais e mais. Não nos matem a todos, pensem nisto.

Vejam a imagem, tem uma frase de 13 março do Prof. Fausto Pinto, diretor da Faculdade de Medicina de Lisboa: "É PRECISO FECHAR TUDO" .....

Como hoje já não vou sair, fico-me por aqui.

@joaobarbara

Comentários