O que fazer quando os interesses de uns, chocam com a vida de muitos outros

 

(créditos da imagem: facebook)

Quem não ouviu já falar deste projeto de alargamento do porto de cruzeiros de Portimão? quase todos, pelo menos os que seguem a vida da sua cidade e estão mais atentos ao que por cá se passa.

Questões técnicas à parte, que deixo para os entendidos na matéria, quero deixar aqui algumas notas negativas sobre o que se pretende fazer em Portimão ... e que, já agora, têm potenciais efeitos nefastos do outro lado do rio.

Parece ser agora o momento, em que as populações concelhias de Portimão e Lagoa (concretamente neste caso de Ferragudo), se deviam unir e lutar pelo bem estar de todos. Sim, porque em última instância, é isso que deve importar, não os interesses de uma minoria com poder de compra e com sede de poder. 

A parte ambiental, que aqui afeta tudo e todos, é um dos pontos cruciais neste assunto. Imaginem o que será mover, remover, toneladas de lama cheia de anos de "merda" (desculpem-se os mais sensíveis e mais novos). 
Como ficará o mau cheiro no ar? 
Como ficará a questão do curso natural do rio? 
A fauna e flora não ficará afetada com esta mudança?
Já para não falar do local onde vão ser depositadas essas lamas? ouvir dizer que seria para depositar nas praias de Ferragudo .... será que querem destruir aquele lado do rio?

Passemos agora à parte subquática. Existem inúmeras ações em prol do património subaquático do estuário do Rio Arade, com várias empresas que vivem desse mesmo espaço. Como ficará esta situação depois da intervenção que se pretende levar a cabo? Será que à alguém pensou que seria de bom tom, pelo menos isso, já nem digo de bom senso, ouvir essas instituições e empresas. E, o que têm a dizer as instituições que intervêm e defendem esta área do património subaquático?

E na parte desportiva, o que têm a dizer as inúmeras associações, clubes e simples cidadãos que fazem do Rio Arade e do seu estuário, espaço para a prática desportiva, de lazer ou competição? Já se reuniram com essas associações e clubes? É preciso ter coragem para ouvir o que estes têm a dizer, e sobretudo levar isso em consideração.

Aos portimonenses, não se esqueçam que a seguir vêm os tais hotéis e afins, à muito projetados para o Estrumal. O que irá acontecer ao antigo convento? parece ser uma boa altura para tratar deste assunto, que demora em ser resolvido. 

Agora, a parte da saúde pública. Não sendo especialista, arrisco-me a dizer uma grande disparate, embora tenho quase a certeza que não. A remoção das lamas, não é potencialmente lesivo para a saúde pública? Será que não poderão reaparecer bactérias que estejam alojadas nessas lamas, e que de outra forma lá ficariam? Isso não deve ser levado em consideração, ou é parte menos importante?

Se, com esta intervenção, o município de Portimão vai ter um crescimento potencial dos postos de trabalho, principalmente na parte da hotelaria e associados? sim, é verdade, mas é preciso considerar que a nossa vida não pode ser levada em frente, à custa de tudo e de todos.

Por estes motivos todos, e mais alguns.
Eu, nascido e residente em Portimão, assíduo visitante da vila de Ferragudo, farei questão de estar presente na vigília que está a ser organizada para o próximo dia 21 agosto, pelas 18h. É preciso lutar e defender o que deve ser de todos nós, o nosso património e ambiente. Todos temos o dever de defender um melhor sírio para viver, livre dos nefastos interesses económicos de uma minoria.

@joaobarbara

Comentários