E felizmente .... a quarentena deixou de ser obrigatória para a scrianças institucionalizadas

 


A norma que estava em vigor previa que as crianças retiradas às famílias, tenham de cumprir 14 dias de isolamento quando chegam aos centros de acolhimento ou aos lares de infância e juventude, isso mesmo que o teste à COVID-19 desse negativo.

Felizmente que a dGS recuou, e neste momento, as crianças que cheguem a centros de acolhimento vão deixar de estar obrigadas ao isolamento profilático, considerando a DGS que a norma deixa de se aplicar com o início das aulas.

“Uma vez que, com o início das aulas, a comunidade para onde estas crianças vão é uma comunidade aberta ao exterior, as crianças vão ficar isentas de ficar em qualquer tipo de quarentena”, disse Graça Freitas durante a conferência de imprensa regular sobre a pandemia da Covid-19 em Portugal.

Fez justiça para o que considerava ser uma enorme atrocidade para as crianças, por si só, já traumatizadas com tudo o que estava a acontecer na sua vida.

Créditos da imagem: Jornal SOL online

Comentários