Pra Cima destes Fil**** de Pu**** todos

 

(créditos da imagem: PortoCartoon)

Aqui fica o meu desabafo domingueiro ..... 

Em primeiro lugar, quero deixar o meu pedido de desculpas pela linguagem e por aquilo que alguns vão considerar de "exagero" nas minhas modestas palavras de desagrado com esta MERD**** toda.

Ontem ao ouvir o nosso PM, decidi que preciso de desabafar .... e  se o tivesse feito ontem, então seria mesmo malcriado, por isso deixei para hoje. 

Tal como a Cristina Ferreira disse, "Pra Cima destes Fil**** de Pu**** todos" é o título deste meu post. Quem são eles, isso já fica ao critério e entendimento de cada um.

Esta pandemia trouxe muita desgraça, doença, morte, miséria .... e ainda falta saber o que aí vem. Digam o que quiserem, mas ninguém sabe o que nos espera a todos. É verdade, a todos os portugueses, a palavra "todos" não tem o mesmo significado para todos nós, aqueles portugueses de que ninguém fala.

Comecemos por dizer quem são esses portugueses, e desculpem-me se me esqueci de alguém, mas não é por mal. Os portugueses de que ninguém fala são aqueles que desde o primeiro dia da pandemia não largaram o seu posto de trabalho, mas que inexplicavelmente estão esquecidos. Melhor, não estão esquecidos, simplesmente são os mais fáceis de empurrar para a "frente de batalha". Lembram-se que utilizei este termo lá para março ou abril ... ainda nos mantemos na frente. E, por um mero acaso, são os mesmos que pagam e aguentam esta MERD***** toda.

Como se já não fosse mau o suficiente, não é que descobrimos que este caralh***** deste vírus é seletivo, em quem e no como ataca!!!!! estranho ... ou talvez não.

Ora vejamos ... e apenas vou referir algumas situações.

  • a primeira situação é a discrepância entre o entendimento de uns e outros, começa logo por quem decide, e porquê, que és, ou foste um contacto de risco? o que é isso de contacto de risco? porque no concelho A és de risco, e no B já não o és? porque se jogares futebol és, ou tiveste um contacto de risco, mas se estiveres no teu local de trabalho já não? porque se estiveres numa escola és, ou tiveste um contacto de risco, mas se estiveres noutra escola, já não?
  • ataca de tarde, mas nunca de manhã: será que é daqueles que faz grandes noitadas, e está sempre a dormir de manhã?
  • mesmo de tarde é seletivo, porque só ataca os espaços grandes (tipo hipermercados e shoppings), mas não os pequenos mercados e lojas: será que se sente abafado nos espaços mais pequenos?
  • e ainda ataca estupidamente os bares e restaurantes ..... será beato?
  • e por falar em beato, é completamente ausente nas celebrações religiosas: será mesmo beato?
  • vendo agora a questão política, não é beato pois vejam o que acontece nos eventos comunistas, conseguem juntar centenas de pessoas sem qualquer problema: será o bicho de esquerda?
  • deve mesmo ser de esquerda, reparem bem como ele ataca a função pública, é um medo que se refugiam todos em casa, afinal há que proteger a classe; será que os privados tomaram alguma vacina que os protege do bicho?
  • pensem comigo, o teletrabalho não é para todos, sim, leram bem, o teletrabalho obrigatório não é para todos .... essa cena do obrigatório é brincadeirinha de alguns; só assim compreendo que uns estão em casa desde sempre, vão é vêm de quinze em quinze dias, e outros batem com o costado diariamente no seu posto de trabalho: será que o vírus tem tendências suicidas com uns e não com outros?
  • eu sempre achei que o motivo do teletrabalho era para proteger a população, mas enganem-se, porque quando o PM utiliza a expressão "sempre que tal for possível" fica ao critério de alguns "seres" decidir o que é ou não possível: será uma negociata com o vírus, atacas aqui mas não ali, para a malta poder continuar?
  • também ouvi o PM dizer algo que me deixou a pensar, está a ser pensado (já vai tarde) a atribuição de um subsídio de risco na função pública e afins, para quem está a trabalhar ao público; ora aqui está, quem trabalha no privado, mais uma vez deve ter tomado algo e estar imute ao vírus, pois não oiço falar de atribuir um subsídio de risco a quem está desde março a trabalhar ao público e a produzir para manter a máquina a funcionar: já sei, será mais uma negociata com o vírus, atacas aqui mas não ali, para a malta poder continuar?
  • também ouvi o PM dizer que vão haver dois dias em que a educação tem ponte, assim como a função pública ...... hum, apela aos privados para seguirem o seu caminho; esta cena do apela costuma correr mal para os nossos lados: Sr. PM, não apele, obrigue a seguir o mesmo caminho da função pública, ou acha que os provados estão isentos de risco, ou então está a caga**** para nós?
  • indo agora para o desporto, até dá vontade de rir, o desporto profissional onde eles estão mesmo juntos, circulam juntos, têm massagista e afins juntos, podem continuar .... mas deixar morrer o desporto amador e de formação já pode ser? esperamos o quê, que o desporto de formação morra mesmo para depois chorarmos? o que vai acontecer à competição amadora, sem o normal seguimento .... ainda havemos de ler que não temos campeões, que são sempre os mesmos ... já para não falar em algo ainda mais grave, chamado de obesidade infantil, mas não faz mal, vamos depois criar umas campanhas para os amigos ganharem dinheiro
  • ainda ontem vimos milhares de pessoas no Campo Pequeno a protestarem pela cultura, estão no seu direito, mas juntos? no mesmo espaço, e depois criticamos a CDU? afinal de contas achamos sempre que cada um de nós tem mais direitos, que os outros .... olhamos só para o nosso umbigo
  • por acaso já vimos os treinadores, dirigentes e atletas se manifestarem? será que estão todos bem, não acredito, mas não têm por trás a máquina política a dar o empurrão .... mas pode ser que ainda mude, quando lhes começar a faltar a comidinha na mesa .... se ainda houvesse um sindicatezinho qualquer a ajudar, era mais rápido
  • ontem assistimos à malta dos restaurantes a se manifestarem, é verdade, está difícil para esses lados, mas já tiveram tempos gloriosos, e será que todos fizeram a correta gestão dos seus negócios? cada um sabe de si, mas lutem, mas lutem por uma igualdade de direitos, e não só pelos mesmos de sempre
O que temos assistido é um corrupio de pedidos de isenção, perdão e de querer dinheiro a fundo perdido. Pois, é bonito de dizer, mas já se esqueceram que os cabr***** e as put**** de sempre, que continuam a descontar , não estão disponíveis para serem só eles a pagar esta crise. Mais uma vez digo, eu sei que assim é o mais fácil, os de sempre não se podem queixar, se lhes tirarem, tiram, se lhes descontarem, descontam. 

Isto tem de ser pago por todos, os direitos e os deveres têm de ser iguais, não pode haver borlas para uns e não para outros. 

Eu levanto a mão, também quero, haverá para mim? 
Eu respondo a essa pergunta, para os meus lados NÃO, afinal sou um português de SEGUNDA para receber mas de PRIMEIRA para pagar.


No fim de tudo, façam como o amigo americano, e cavalguem o Corona, pode ser que ele goste.
@joaobarbara


Comentários