Para quando "Portimão declarada como Zona de Liberdade LGBTI+"

 


Quando existe a necessidade de falarmos sobre a criação de zonas livres de discriminação, é porque algo está muito mal na nossa sociedade. O "podre" existe, por isso resta-nos lutar contra. 

No passado dia 12 de março, o Parlamento Europeu aprovou declaração que proclama a União Europeia como "Zona de Liberdade para as pessoas LGBTI+". Esta proclamação teve 492 votos a favor, 141 contra e 46 abstenções. A Comissão Europeia é assim instigada a utilizar todas as formas, e instrumentos ao seus dispor, para lutar contra as violações dos direitos humanos que as pessoas gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e "queer" sofrem diariamente,

Esta proclamação tarda por tardia, pois desde 2019 que a Polónia se declara como "Zona Livre de Pessoas LGBT". Demasiado grave para ser ignorado. Em 2019, apareceram por toda a Polónia, autocolantes distribuídos por um jornal conservador, em que ostentavam uma cruz negra por cima da bandeira arco íris, tentando assim anular as suas cores. Em redor, a frase repetida "Zona livre de LGBT". Mas se isto já era mau, este foi o inicio para que várias cidades daquele país dessem o mote para esta auto proclamação de zona livre de pessoas LGBT.

Mais recentemente, a cidade de Nagykata, na Hungria, ditou uma resolução que proíbe a disseminação e promoção de propaganda LGBTI+. 

A semente do ódio e da homofobia está lançada, e é preciso combater, cidade a cidade, país a país.

A Europa reagiu, bloqueando a transferência de fundos comunitários para estas zonas, defendendo assim os valores europeus do respeito pela dignidade humana, liberdade, democracia, igualdade de género e minorias e direitos humanos. Culminou com esta declaração da União Europeia como "Zona de Liberdade para as pessoas LGBTIQ".

Portugal tem sido declarado como um dos países do Mundo mais hospitaleiros para a comunidade LGBTI+. Mas isso não é suficiente, é preciso fazer de todas as cidades portuguesas, uma cidade declarada como "Zona de Liberdade LGBT+". 

Lisboa deu o mote, com a aprovação do primeiro Plano Municipal LGBTI+ do país. Manuel Grilo, vereador do Bloco de Esquerda para Lisboa, declarou que, com este plano, Lisboa se torna numa cidade que respeita os valores do respeito pela dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, do Estado de Direito e do respeito pelos direitos humanos.

Será que Portimão pode ser a segunda cidade portuguesa a provar o seu Plano Municipal?

Queremos que Portimão possa ser declarada como "Zona de Liberdade LGBTI+".

Fica a minha proposta para ter Portimão mais livre de preconceitos.

@joaobarbara

Comentários

Mensagens populares