[juventude] participação cívica na vida política local

 

Caros portimonenses,

Este tema sempre me acompanhou, e sobretudo preocupou. 

Foi precisamente estes os motivos que me levaram a aceitar ser um dos membros fundadores do Conselho Municipal da Juventude do município de Portimão. Quando, em 

O exercício da minha cidadania sempre passou por intervenção, propostas e opinião. Daí que não estranhei quando recebi um email do My Polis Lagoa (na altura a plataforma de Portimão não estava ainda ativa) a dizer que tinha sido eleito cidadão do ano de 2020 da comunidade de Lagoa. Magnifico, mas apreensivo ao mesmo ... afinal onde andam os jovens algarvios? 

Aconselho todos a participarem, em especial ao jovens, façam propostas, façam os vossos comentários às propostas dos outros, sejam cidadãos ativos.

Entendo que os jovens carecem de participação ativa na vida política e social de Portimão, por isso mesmo entendo que devo deixar algumas propostas para discussão, e quem sabe se não avançam.

A possibilidade de intervenção, participação na vida política ativa local é um património que não deve nunca ser descurado e merece trabalho e ação, quer seja ao nível do podes deliberativo como fiscalizador.

Existem muitas propostas possíveis, mas para já deixo algumas da minha autoria:

- Definir uma estratégia de responsabilidade social [junto dos jovens] com base em protocolos que envolvam o voluntariado jovem, em particular ocm entidades do setor social local e que sejam identificadas como as mais necessitadas

- Realizar ações de advocacy junto do poder local, com particular enfase nas propostas de interesse para os jovens portimonenses (ambiente, educação, desporto, migrações, minorias ou direitos humanos).

advocay [prática política levada a cabo por indivíduo, organização ou grupo de pressão, no interior das instituições do sistema político, com a finalidade de influenciar a formulação de políticas e a alocação de recursos públicos

- Estabelecer uma ligação regular com a atividade política local, seja esta com o poder ou com a oposição

- Garantir a possibilidade de participação regular [sendo ouvidos] nas Assembleias Municipais, de Freguesia ou nas comissões e conselhos existentes

- Garantir a possibilidade de reunião regular com os deputados eleitos localmente, de forma a que seja possível a sensibilização para os temas da cidadania global, ou outros de interesse

- Garantir a possibilidade de acompanharem de perto o processo legislativo e fiscalizador local, através da criação de observatórios que permitam aos jovens conhecer as deliberações em discussão e preparação, para que possam emitir as suas opiniões e façam recomendações

- Garantir que os jovens possam ter uma verdadeira participação cívica, exigindo junto dos respetivos eleitos locais o poder de participação ativa na formulação de prioridades

- Mobilização dos jovens para o ativismo social

@joaobarbara

Comentários

Mensagens populares