Pela Abertura imediata do Concelho de Portimão

 

Caros portimonenses, 

Todos temos consciência do estado de calamidade económica que estamos a ultrapassar. O fecho de espaços comerciais em Portimão já se iniciou, muitos destes históricos da nossa cidade, como o último caso que tomei conhecimento, da Pastelaria Mira. Aproveito para deixar aqui o meu abraço de solidariedade para toda a família e amigos daquele espaço. Muitos outros se seguirão.

Esta situação pandémica tem algo em comum para todos, sejam ricos ou pobres, sejam grandes, médios ou pequenas empresas, afeta todos por igual. Morrem uns e outros não, fecham umas empresas e outras não. 

Temos de estar unidos, não podemos deixar cair a nossa cidade. Hoje, cada vez mais do que nunca, Portimão é o que interessa, e não politiquices e tretas que neste momento, pouco ou nada interessam.

É fácil criticar quem está na decisão, ou também o fiz por algumas decisões que considero ter sido menos boas. Mas agora, é preciso que nos concentremos no importante. Como não fazer cair Portimão e os portimonenses na desgraça e na falência social.

Hoje falo-vos apenas em algo, muito pequeno, iniciado por algumas pessoas da nossa cidade, cidadãos como nós. Pessoas que têm os seus negócios e rendimentos na cidade. Pessoas estas ligadas à atividade física e ao desporto em geral.

A Carla Araújo, empresária e portimonense, proprietária do Ginásio Amarilis em Portimão. Esta portimonense teve a iniciativa de criar uma petição pela abertura imediata do nosso concelho. As razões de tal pedido ao PM e PR estão sucintamente enumeradas no texto da petição, e têm o meu total acordo.

Abertura imediata do Concelho de Portimão

A decisão de fazer Portimão recuar um passo no desconfinamento foi profundamente injusta, e pode mesmo provocar danos irreparáveis e com custos para todos nós, sejam estes pelas falências empresarias e/ou pessoais, como sociais. 

É isto que queremos para Portimão? 

Vamos aceitar esta situação de ânimo leve?

Comecemos por este pequeno passo, assinando a petição e obrigando a discussão no parlamento. Eu já assinei, é simples e fácil (não esquecer de confirmar a assinatura através do link recebido por email).

Relembremos os senhores governantes, que fomos solidários com os anteriores confinamentos nacionais. Sim, solidários, porque nessa altura não tínhamos o mesmo número de casos que Lisboa, Porto e outras regiões, que são consideradas acima do Algarve e de Portimão. Consideradas não pelos algarvios, mas pelos senhores governantes de Lisboa e arredores.

Agora é altura de perceberem que não aceitamos isto de ânimo leve, queremos melhor para Portimão, queremos que entendam que o pandemia não está disseminada pela sociedade portimonense, mas sim efetivamente confinada em determinados setores e espaços.

O mesmo a presidente Isilda Gomes referiu, é profundamente injusto e está a provocar uma revolta, que pode mesmo não ter precedente em Portimão.

Quem sabe o próximo passo não seja a criação de um Movimento Por Portimão.

João Bárbara

Cidadão Portimonense

@joaobarbara



Comentários