[sobre política interna] a democracia é lixada mas tem de ser respeitada

 


Caros amigas e amigos, 

Depois deste post possivelmente a alguns de Vós deixarei de poder tratar como amigos, mas também possivelmente a outros de Vós passarei a poder tratar por amigas. A vida na política e na sociedade tem destas coisas. 

Vamos agora aos factos reais, sem papas na língua. A verdade crua e dura. 

É preciso revelar os factos e as circunstâncias dos acontecimentos e não esquecer que a verdade e a democracia devem sempre prevalecer. 

A ANC - Alternativa Novo Curso do nosso Bloco de Esquerda, sensibilidade interna que esteve na base da Moção N - Por uma Revolução Tranquila à XII Convenção Nacional do Bloco de Esquerda, contesta veementemente a retirada de publicação da página eletrónica do Bloco de Esquerda, da sua Declaração Política de Outubro de 2021, que sintetiza o essencial das discussões e deliberações do Plenário Nacional da ANC de 9 de outubro último. Sem dramas, é a opinião de um conjunto de militantes que devia, deve e deverá sempre ser respeitada. E não foi.


Vejamos. No dia 18 de Outubro entendeu a Comissão Política do Bloco de Esquerda retirar do bloco.org, espaço virtual voltado para a discussão e debate interno, a dita Declaração Política.
Na sequência desse requerimento esta Declaração esteve disponível no espaço virtual referido, em igualdade de circunstâncias com outras tomadas de posição [que podem comprovar ainda lá estar publicadas], vindo a ser retirada desse espaço passadas apenas algumas horas.

O que tem a Declaração Política da Moção N de diferente das outras [vidé declarações e posições políticas da Moção A, E ou Q lá publicitadas]?

Para começar desagrada a alguns porque é crítica, cheia de duras verdades e reflete uma realidade atual no Bloco. Isso incomoda a alguns, desagrada a outros que estão acomodados mas sobretudo pauta por falta de democracia interna e tentativa de silenciamento. Não pode nem vai ficar no esquecimento.
Esta retirada da Declaração Política constitui uma violação explícita do artº 4º, nº 1, alíneas a), c), e e), dos Estatutos do BE. Em paralelo, não são atribuídas pelo artº 11º à Comissão Política (assim como, por arrastamento, ao Secretariado Nacional) quaisquer competências de natureza limitativa ou sancionatória dos direitos, particularmente sem audição prévia da Comissão de Direitos.

Parece-me que alguns se esquecem que o Bloco é isso mesmo, um bloco de tendências que devem ser respeitadas. A tentativa de esvaziamento de ideias, de opiniões e de pessoas é altamente penalizador para o Bloco.

A democracia é lixada, mas tem de ser respeitada custe o que custar.

Podem ler AQUI a Declaração Política da Moção N, censurada pela Comissão Política do BE.

@joaobarbara

Comentários

Miguel Madeira disse…
Penso que o link (para a ultima declaração) não é esse
João Bárbara disse…
Talvez não seja para a publicacao, mas essa foi retirada.