O meu Portimão de 2021, podemos querer + e melhor para Portimão

 

(imagem de Portimão - facebook)

Portimão festeja este ano os seus 97 anos e a cidade que é quase centenária precisa de todas e todos [agora e cada vez mais do contributo de todos os portimonenses]. 

Quero-vos deixar algumas palavras para reflexão de todos. Fiz o meu exercício de cidadania, que gostava de ver de mais portimonenses. Digam o que pensam, o que querem para Portimão.

Caros portimonenses,

Começo por me dirigir a todas e todos que fazem desta cidade de Portimão, aquilo que esta é. E é por aqui que começo - que cidade é neste momento Portimão? 

Este dia de 2021, celebra o dia 11 de dezembro de 1924 em que por decreto de Manuel Teixeira Gomes, a cidade de Portimão foi elevada a cidade.

Mais um ano que fica marcado pela pandemia, mas em que temos de agendar e pensar o futuro. Sabemos que Portimão é uma cidade periférica, estando afastada dos grandes centros urbanos. Todos nós sentimos isso quando percebemos que Portimão é pouco mais do que local de férias de uns e outros. O centralismo de Lisboa tem de mudar, todos queremos um Portimão melhor, com mais disto e daquilo.

Em tempos o passado executivo PS gostava de muita festa e fogo de artificio, chegaram a querer que a marca "Portimão" fosse uma marca nacional, quiçá uma marca internacional. Foram gastos milhões [sabe-se lá para quê]. Lamento, mas além dos estragos financeiros com largos milhões de dívida deixada [que tem sido paga, aliás vai continuar a ser paga pelos portimonenses], das taxas e taxinhas cobradas, da venda do espaço público de estacionamento e dos parquímetros, das festanças do Sasha e dos projetos megalómanos da cidade do cinema ou do complexo desportivo, pouco ou nada ficou. 

Será Portimão hoje uma cidade melhor para viver do que era à 12 anos atrás?

Os impostos continuam no máximo possível e exigido por Lisboa. Por lá não querem saber se foi este ou outro PS, os e as portimonenses que paguem os estragos que os governantes fizeram. E nós pagamos, caladinhos como manda a cartilha.

A água é da mais cara do país, e perguntam vocês porquê? Para quem já olhou para a sua fatura da água facilmente percebe que gasta pouco e paga muito, são taxas e taxinhas, impostos sobre impostos mas nunca ninguém questionou a legalidade desta fatura. Tudo normal, quem paga são os e as portimonenses. E como se isso não fosse suficiente, nesta empresa municipal foi incorporada a gestão dos estacionamento e dos parquímetros. Lembram-se dos tais parquímetros do passado PS? Ainda continuam por cá. E já agora, questionem para quem vai os valores cobrados das multas dos fiscais da EMARP? Aqueles senhores e senhoras que andam de preto e amarelo.

Volto a questionar, Será agora Portimão uma cidade melhor para viver do que era à 12 anos atrás?

Imaginem que eram uma família que vinha viver para Portimão. Logo percebiam que os impostos são altos e sem possibilidade de mudar nos próximos 10 anos. A água é cara e o estacionamento público é pago.

Mas mesmo assim ainda não desistiam da ideia de vir para Portimão, afinal o tempo e a praia são muito atrativos. 

A família farta de trabalhar para grandes empresas vem decidida a abrir o seu próprio negócio no centro de Portimão. Será uma boa iniciativa? Afinal o tal PS do passado permitiu a criação de espaços de grandes centros comerciais dentro do limite da cidade, levando quase à morte dos comerciantes e do comércio local de Portimão. O centro da cidade morre muito cedo, e para quem se lembra do passado, pode comparar e tirar as suas conclusões. 

Bom, mais um entrave, mas mesmo assim ainda persiste o plano de vir para Portimão. 

As crianças, que são em número de 3 e são desportistas. Um destes nadou desde que se lembra, a outra fez atletismo e o mais novo joga andebol. Os pais logo procuraram saber como seria a integração dos filhos na continuação da sua prática desportiva. 

Piscina para natação existe, o corpo técnico é capaz e profissional, disso não temos dúvidas mas para quem estava habituado a ter uma piscina como uma piscina deve ser, fica bastante desiludido com o que temos em Portimão. Lembram-se do tal PS do passado, a piscina como uma piscina deve ser era uma das promessas para o complexo desportivo. Mas também o PS atual fez essa promessa e já são dois terrenos que são disponibilizados para esse fim, mas apenas ficamos por aqui, piscina nem ver.

E no atletismo, a tal pista não existe. Clube sim, mas com que condições de treino? Lembram-se do passado, agora é mesmo o presente. Em 2019, quando Portimão foi Cidade Europeia do Desporto, o PS atual prometeu uma pista de atletismo. Em 2021, essa promessa passou a promessa eleitoral. E vamos entrar em 2022,

Procuraram a modalidade de andebol, e descobriram que é muito recente em Portimão estando a dar os primeiros passos, Não serve para o mais novo, talvez ali ao lado.

Pior que ter esta, ou não ter esta ou aquela modalidade, são as condições que são disponibilizadas para a prática desportiva. E ainda pior que isso é mesmo a estratégia desportiva para Portimão. Não existe. Voltaremos noutro dia ao tal Plano Estratégico para o Desenvolvimento Desportivo da cidade de Portimão [vejam a minha publicação de 22 de abril de 2021] que parece continuar em cima de uma qualquer secretária. É verdade, foi outra das promessas eleitorais das últimas autárquicas.

Mas possivelmente Portimão é uma cidade amiga do ambiente, uma cidade verde. Será mesmo assim? Aquele que é considerado o espaço verde de Portimão, que é o parque da juventude é manifestamente insuficiente e parco em "verde" e oferta lúdica e desportiva. O projeto para melhorar este espaço até existe, mas é de lento andamento. Vejam a minha publicação de 19 de setembro de 2010 onde já referia esta situação do parque da juventude e do complexo desportivo. Também podem passar por lá e ver o anúncio no exterior e depois comparar com o interior.

Nas promessas do PS atual existem vários espaços verdes [até algo tipo corredor verde, veremos mais tarde o que isso pode vir a significar] e quem sabe o tal parque da cidade para um futuro que não acredito ser próximo. A zona do estremal até à marina tinha tudo para receber este parque da cidade, mas em vez disso vai receber mais umas toneladas de cimento [mas isso fica para outro dia]. Promessas verdes leva-as o vento.

Agora a família quer saber como pode intervir junto do executivo, afinal são cidadãos que sempre foram participativos na cidade onde viviam. Poder podem, mas vejamos.

As reuniões do executivo e das assembleias municipais e de freguesia podem ser assistidas e até pode questionar o executivo. Mas questionam-se porque não são gravadas e transmitidas digitalmente? Sempre estiveram habituados a isso no concelho onde viviam, afinal nem sempre é possível ter a disponibilidade familiar necessária para se deslocarem para assistir às reuniões. Assunto já antigo e que nunca mereceu a atenção do atual PS [vejam a última publicação que fiz sobre este assunto em 11 de novembro de 2021].

Mas e como ficou a família que quer vir para Portimão? 

Que venha, Portimão tem muito para dar e para melhorar. Tudo o que foi dito atrás pode, e deve ser melhorado. Os e as portimonenses querem mais e melhor para Portimão e todos os que se quiserem juntar são bem vindos. Não existem impossíveis para esta sociedade. 

Portimão pode mesmo vir a ser a Vossa cidade idílica para viver. Será?

Estas palavras não são críticas, são palavras reais e são apenas alguns dos aspetos a melhorar, muito mais existe para dizer. Façam como eu, exerçam a Vossa cidadania e digam o que querem e pensam para Portimão. Deixem os contributos para fazer Portimão uma cidade em que todos possamos viver.

Logo ali ao lado muito é diferente. Eu gostava que por cá tudo fosse igual ou melhor do que ali ao lado.

Podemos querer + e melhor para Portimão. Eu quero, e vocês?

@joaobarbara

Comentários